NOTÍCIAS E ATIVIDADES

Justificativa econômica para as torres de observação

Quando instaladas, cada torre pode proteger uma superfície de 10.000 a 20.000ha, dependendo do relevo da área.

Considerando-se o preço de uma torre de 30m de altura, cada torre representa apenas 0,2 a 0,4% do custo de implantação de um reflorestamento.

Este valor é também muito menor do que o prêmio de seguro floresta, que tem que ser renovado e pago a cada ano. Com uma durabilidade garantida de dezenas de anos, seu custo relativo, quando comparado ao valor da floresta, torna-se irrisório.

 

Energia eólica na Alemanha

Turbina eólica Alemanha

Na Alemanha, o governo planeja substituir a energia nuclear (responsável por mais de um terço da energia elétrica produzida), pela energia eólica nos próximos 30 anos.

Para tal, serão implantados no Mar do Norte importantes parques eólicos, assim como em terra. A Alemanha, com as suas 8500 centrais eólicas, é o país número um no sector a nivel mundial, produzindo um terço da energia eólica mundial, o que corresponde a metade da produção europeia.

 

Treinamento de segurança

Mogi Guaçu, SP: Durante os dias 10 e 11 de maio, na Unidade Florestal SP, foram treinados 20 trabalhadores florestais que atuam nas torres de vigilância de incêndio.

Com altura de 45 metros, as 11 torres de vigilância da Unidade Florestal SP oferecem a possibilidade de monitoramento de toda a área florestal da IP, que tem aproximadamente 118 mil hectares.

O treinamento, aplicado pela Condormetal – empresa gaúcha fabricante de torres -, teve por objetivo a capacitação do colaborador para exercer seu trabalho com segurança e qualidade. Para isso, foi demonstrada a utilização correta dos EPIs, passadas precauções a serem tomadas, alem de técnicas para subida e descida da torre com segurança.

 
Treinamento Condormetal Treinamento Condormetal Treinamento Condormetal
 

Portugal usou apenas energias renováveis por 4 dias

O consumo interno de eletricidade do país foi fornecido apenas por energias renováveis durante quatro dias consecutivos. Durante 107 horas Portugal funcionou a energia eólica, solar e hídrica.

Durante 107 horas consecutivas o país inteiro funcionou apenas com energia solar, hídrica e eólica. Entre as 6h45 da dia 7 de maio (sábado) até às 17h45 do dia 11 (quarta-feira), Portugal atingiu uma importante meta, tendo conseguido abastecer a rede elétrica do país sem quaisquer emissões de carbono. Além das evidentes vantagens ambientais, o impacto económico foi também positivo, já que reduziu a necessidade de importar carvão e petróleo.

Já desde 2013 que metade da produção de eletricidade no país é assegurada por energias renováveis, mas nunca se tinha conseguido assegurar o abastecimento da rede durante tantos dias consecutivos.

Este é um importante passo para tornar o país dependente apenas de energias renováveis. Esta realidade contribui para uma redução drástica da emissão de gases com efeito estufa, tem um impacto positivo na economia portuguesa porque permite reduzir drasticamente as importações de combustíveis fósseis e ainda permite ao consumidor poupar na fatura da eletricidade, uma vez que os preços praticados seriam mais baixos.

No ano passado as energias renováveis produziram 48% da energia do país, sendo a energia eólica a que mais contribuiu, com 22%.

Portugal tem vindo a apostar nas energias renováveis, particularmente na energia eólica. Foram feitos esforços para melhorar a capacidade de armazenamento de energia, para poder fazer uma melhor gestão dos excedentes e compensar as variações meteorológicas. No futuro espera-se poder exportar o excedente de energia renovável.

No país com maior exposição solar da Europa, a energia solar também deve ganhar relevância, particularmente no verão.

Fonte: O Obervador

 
 

VOLTAR